Arquivo da categoria ‘Beatles’

       Here Comes the Sun foi o single digital mais vendido.

Os Beatles já venderam mais de 2 milhões de músicas e mais de 450 mil álbuns em todo o mundo na primeira semana desde seu lançamento do iTunes, loja virtual da Apple, informou a companhia nesta terça-feira (23).

Abbey Road foi o álbum digital mais vendido no iTunes nos Estados Unidos, encerrando a semana em 6o lugar. Já o Beatles Box Set ficou em 10o lugar no ranking do iTunes.

Here Comes the Sun foi o single digital mais vendido dos Beatles, mas a música não ficou entre as 10 mais vendidas da semana, de acordo com a Apple.

O catálogo dos Beatles foi lançado pela primeira vez no iTunes, maior loja de música digital do mundo, em 16 de novembro, após anos de negociações entre o fundador da Apple, Steve Jobs, e a agência e gravadora dos Beatles, EMI.

A Apple liberou em seu site um vídeo em streaming do primeiro show realizado pelos Beatles nos Estados Unidos.
 A apresentação histórica aconteceu no dia 11 de fevereiro de 1964, no Washington Coliseum, apenas dois dias depois da também histórica aparição da banda ao vivo no The Ed Sullivan Show, com uma audiência de 74 milhões de telespectadores nos EUA.

A Apple publicou o vídeo como forma de comemorar o tão esperado início das vendas dos álbuns dos Beatles na loja virtual do iTunes.
 Após longas negociações entre os executivos da Apple e representantes dos Beatles e da gravadora EMI, as faixas do fabfour finalmente podem ser adquiridas pela internet.
Para assistir ao show, clique aqui.

Via | Roque Reverso
Foto | Divulgação

Os Beatles (Foto: AP).

Menos de 24 depois de ter todo seu catálogo comercializado pelo sistema de download de músicas digitais iTunes, da Apple, os Beatles já dominam o Top 20 de mais vendidos da maior loja varejista digital de música do mundo.

Nada menos do que sete dos 13 álbuns oficiais do conjunto figuram no ranking junto de artistas contemporâneos como as cantoras Rihanna e Taylor Swift — os discos mais bem posicionados dos Fab Four são os clássicos “Abbey road”, em 7º; “White album”, em 9º; e “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, em 10º.

As canções estão à venda separadamente no iTunes por US$ 1,29 cada, os álbuns a US$ 12,99, e os álbuns duplos a US$ 19,99. Já a coleção completa, que inclui um arquivo em vídeo com a íntegra da primeira apresentação da banda em solo norte-americano, sai por US$ 150.

“Estou particularmente feliz que não me perguntarão mais quando os Beatles entrarão no iTunes”, disse Ringo Starr em comunicado. “Finalmente, se você quiser, pode tê-los”.

O acordo foi fechado depois de anos de negociação entre o fundador da Apple, Steve Jobs, a empresa que administra os Beatles, a Apple Corps, e a gravadora da banda, a EMI Group.

Desencontro
As negociações foram frustradas anteriormente por preocupações das pessoas que protegem o legado dos Beatles, incluindo receios de que o valioso catálogo de canções perderia o valor ao ser vendido como músicas individuais ou aumentando o potencial de pirataria digital.

A disponibilidade dos álbuns de sucesso como ‘Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band’, ‘Revolver’ e ‘Abbey Road’ devem impulsionar as vendas de música digital nesse trimestre, enquanto fãs baixam as músicas para encher seus iPods e outros aparelhos de mídia.

O primeiro indício de um possível acordo surgiu em 2007, depois que a Apple resolveu uma disputa de décadas pela marca da empresa dos próprios Beatles, a Apple Corps.

Mas Yoko Ono, viúva de John Lennon; Olivia Harrison, viúva de George Harrison; e dois Beatles que ainda estão vivos, Paul McCartney e Starr, tiveram desacordos entre eles sobre se permitiriam que a música fosse disponibilizada em formato digital.

Os Beatles devem ter seu catálogo distribuído
na iTunes a partir de terça (17) (Foto: Photo12/AFP).

As músicas dos Beatles farão parte do catálogo da loja digital iTunes, da Apple, informou na segunda-feira (15) o jornal americano “The Wall Street Journal”.

O diário destacou que a Apple deve fazer nesta terça (16) o anúncio oficial da inclusão das canções da banda britânica.

Em seu site, a Apple antecipou que deve comunicar algo “emocionante” para o iTunes.

Fontes do “The Wall Street Journal” indicam que, após longas negociações, executivos da Apple e representantes dos Beatles e da gravadora EMI, proprietária de muitas das músicas da banda, fecharam um acordo para distribuí-las pela primeira vez na internet.

Até agora, as músicas dos Beatles não haviam entrado no mercado eletrônico. Da mesma forma, a banda não teve suas canções gravadas em CD até 1987, quando o formato de disco compacto já era mais comum na indústria fonográfica.

A revista norte-americana “Rolling Stone” publicou um ranking com as 100 melhores canções dos Beatles. “A day in the life”, canção composta por John Lennon Paul McCartney e lançada no álbum “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, de 1967, ficou no topo da lista divulgada nesta quarta-feira (25).
O segundo lugar foi ocupado pelo o single “I want to hold your hand”, de 1963, seguido por “Strawberry fields forever”, incluída na trilha sonora do filme “Magical mistery tour”, também de 1967.

A lista foi publicada como parte de uma edição especial de colecionador entitulada “The Beatles: 100 Greatest Songs”, lançada para coincidir com o aniversário de 40 anos de “Let it be”, o 12º álbum oficial de estúdio da banda lançado em 1970.

“Lennon, McCartney e Harrison tinham padrões extremamente altos como compositores. E começaram a amadurecer realmente: foram de simples letras de amor a histórias adultas… e a ideias maiores do que você esperaria encontrar em canções pop” declarou o cantor e compositor Elvis Costello, no texto introdutório à lista.

Veja as 10 primeiras posições do ranking com as100 melhores músicas dos Beatles, organizado pela “Rolling Stone”:

1. “A day in the life”

2. “I want to hold your hand”

3. “Strawberry fields forever”

4. “Yesterday”

5. “In my life”

6. “Something”

7. “Hey Jude”

8. “Let it be”

9. “Come together”

10. “While my guitar gently weeps”

Os Beatles em Hamburgo, com sua primeira formação

Os Beatles completam 50 anos nesta terça-feira (17). A celebração tem uma explicação: nesse dia, em 1960, o grupo fez seu primeiro show com este nome, em um obscuro clube em Hamburgo, na Alemanha, o Indra.
Na verdade, a semente do que veio a se tornar a maior banda de rock de todos os tempos já existia desde 1957, quando Paul McCartney foi convidado a entrar em uma pequena banda de Liverpool, a The Quarrymen.

Lennon e McCartney tocavam guitarras. O segundo, por sua vez, trouxe um amigo mais novo e também guitarrista, George Harrison, que entrou para o time algum tempo depois. O baixista veio na mesma base: Stu Sutcliffe, colega de Lennon. Os bateristas variavam de show para show.

A banda foi nomeada por causa do colégio onde Lennon estudava e a iniciou, a Quarry Bank High School. Em 1960, quando a escola já havia virado passado, surgiu a ideia de partir para um novo nome. Beatles acabou vencendo, depois de algum tempo, sendo a mistura de beetles (besouros) com beat music (música com batida, dançante).

O show também teve outro momento histórico: a entrada de um baterista fixo na banda. No dia 12 de agosto, Pete Best assumiu a vaga, após ter tocado informalmente com John, Paul, George e Stu no clube de sua mãe, o Casbah.

Esse show em Hamburgo deu início a várias semanas de trabalho para a banda, que cresceu muito e se tornou bastante respeitada naquela cidade portuária e barra pesada, na qual discussões e brigas violentas nas plateias eram fatos

Manuscrito de música do clássico disco “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts club band.”, será leiloado. (Foto: AP)
Um leilão que será realizado no dia 18 de junho, em Nova York, nos Estados Unidos, permitirá que algum beatlemaníaco endinheirado leve para casa uma importante parte da história dos Beatles.

A letra de “A day in the life”, em duas páginas, traz edições de Lennon feitas à mão e deve ser de quem estiver disposto a desembolsar entre US$ 500 mil e US$ 700 mil por ela.

A música foi considerada pela revista “Rolling Stone” como a 26ª melhor da história em uma lista que continha 500 canções. O álbum “SGT. Pepper” ganhou quatro Grammy à época de seu lançamento, em 1968.

A letra causou controvérsia quando o disco chegou às lojas e chegou a ser banida da programação da rádio inglesa BBC por conter versos que poderiam fazer apologia ao uso de drogas. Cópias do disco na Ásia tiveram a música cortada dos exemplares.

Além deste trecho, a música também faria, segundo fãs da banda, referência a um acidente de carro que matou o playboy londrino Tara Browne, herdeiro do clã irlandês Guiness e grande amigo de Paul McCartney e Lennon.

Beatles (Foto: Divulgação)
“Paperback writer”, single dos Beatles de 1966, vai ganhar uma reedição limitada na Grã Bretanha. O selo Parlophone vai relançar o compacto em vinil com tiragem limitada de 1.000 cópias, comemorando o Dia da Loja de Discos no país, que ocorre no dia 17 de abril.

Outros lançamentos para o Dia da Loja de Discos na Grã Bretanha incluem compactos limitados de artistas como Lily Allen, Pet Shop Boys e Babyshambles. O Dia da Loja de Discos foi criado em 2008 nos EUA, com o objetivo de aumentar a frequência de consumidores em lojas independentes no país.

A edição de 2010, que tem Josh Homme (líder do Queens of The Stone Age) como padrinho, acontece em 11 países incluindo o Brasil. O país é representado por uma única loja no Rio de Janeiro.

A banda britânica The Beatles (Foto: divulgação)
Os fãs canadenses e norte-americanos dos Beatles já podem adquirir o primeiro produto licenciado da banda na loja virtual de música iTunes, informou o site da revista “Spinner”. “The little black songbook of The Beatles” é um novo aplicativo para o celular iPhone, que inclui letras e cifras para mais de 160 canções do grupo.

Cada música conta com amostras sonoras e detalhes de cada acorde utilizado. O aplicativo também contém 30 faixas gravadas para que o usuário possa tocar junto, e até mesmo algumas vídeo-aulas de instrução para auxiliar no aprendizado.

Batalha judicial

A Apple Corps, empresa fundada pelos Beatles em 1968, e a Apple Inc, gigante da computação e criadora do iTunes, têm um passado de disputas judiciais em torno da marca (uma maçã) desde 1978. Em 1991, um acordo concedeu à Apple Corps. o uso exclusivo do símbolo no âmbito artístico.

As companhias, entretanto, voltaram a entrar em conflito em 2003, quando a Apple Inc lançou no mercado o serviço de downloads e o player iPod, percebidos pela empresa dos Beatles como uma invasão de seu território.

Um novo acordo então foi firmado: a empresa de informática passou a ter controle total sobre a marca Apple, mas desde então concede licenças à empresa dos Beatles para seu uso contínuo.

Apesar do cessar-fogo, a longa espera pelo lançamento dos 12 álbuns oficiais dos Beatles em formato digital parece longe de terminar.

George Harrison, Paul McCartney, John Lennon e Ringo Starr: os Beatles seguem à venda. (Foto: Divulgação)

O interesse dos fãs pelos discos de Michael Jackson e pela discografia remasterizada dos Beatles está ajudando a indústria fonográfica norte-americana. O declínio das vendas de discos deve diminuir no terceiro trimestre – ainda assim, 2009 deve ser o oitavo ano de queda na indústria nos últimos nove anos.

Em comparação com 2008, as vendas deste ano nos EUA caíram 13,9% até o momento, diz a “Billboard”, revista responsável pela divulgação de rankings de vendas no país. Durante o terceiro trimestre, as vendas caíram 11,1% em comparação com o mesmo período de 2008. A queda total em vendas do ano passado foi de 14%.

Segundo a “Billboard”, os varejistas norte-americanos seguem esperando que a performance dos discos de Jackson e dos Beatles, ao lado de uma safra de lançamentos importantes no fim di ano consiga recuperar o terreno perdido.

A morte de Jackson no dia 25 de junho impulsionou a venda de 5 milhões de unidades, e o lançamento da discografia remasterizada dos Beatles vendeu 1.,3 milhões de unidades até o momento.