Arquivo da categoria ‘Bob Dylan’

                  Dylan: 100 Canções e Fotos é uma seleção de músicas, partituras e imagens do cantor norte-americano Bob Dylan.
Muitas das canções foram escolhidas por companheiros de shows famosos, como Bruce Springsteen, Bono e Paul McCartney.

Também vale um destaque nas histórias por trás das músicas de Dylan, entre elas Blowin’ in the Wind, Maggie’s Farm, All Along the Watchtower e Hurricane.

Cada uma das 100 canções presentes no livro é impressa com a linha de melodia, boxes com as posições de guitarra e as letras completas com sua tradução.

 Ou seja, um bônus e tanto para os fãs do poeta.
A publicação mostra o trabalho de Dylan no contexto de sua vida e tempo e destaca sua influência sobre alguns dos grandes compositores que foram seus contemporâneos ou seguidores.

Dylan: 100 Canções e FotosEditora: Madras
Páginas: 688
Quanto: R$ 124,90

Bob Dylan é um dos maiores poetas do rock.
Anúncios

A nova coleção Brazil Series do legendário músico americano Bob Dylan, um aficcionado também da pintura, foi apresentada pela primeira vez nesta quinta-feira (2) no Statens Museum for Kunst, o maior de Copenhague.

O curador Kaspar Monrad deu mais detalhes sobre o evento.

AFP PHOTO / SCANPIX DENMARK – KELD NAVNTOFT

Bob Dylan não anunciou sua presença na inauguração

Bob Dylan não anunciou sua presença na inauguração. É uma pessoa muito tímida, mas como está se apresentando na Europa, talvez venha ao museu. Bob Dylan não é apenas um artista legendário, como também um pintor apaixonado, o que não é comum entre os cantores de rock que se dedicaram à pintura, sem sucesso.

A coleção, que compreende cerca de 40 telas pintadas em acrílico e oito desenhos, ficará aberta ao público até 30 de janeiro de 2011.

– É uma coleção que jamais foi exposta, que foi feita para o Statens Museum for Kunst entre 2009 e o primeiro trimestre de 2010. Estes quadros mostram paisagens da vida cotidiana na cidades, as favelas e o campo do Brasil, para onde Bob Dylan viajou em várias oportunidades. Também há quadros dramáticos sobre amores infelizes, ajustes de conta mafiosos e outras cenas que mostram o fascínio do artista pela diversidade desse país.

O museu dinamarquês entrou em contato com o agente de Bob Dylan no final de 2008 para pedir ao artista uma nova coleção de pinturas, afirmou.

“Visitei o Statens Museum for Kunst, que é impressionante, e foi uma surpresa para mim quando me pediram para criar obras especificamente para este museu”, enfatizou Bob Dylan em um comunicado publicado pela galeria.

“Foi uma grande honra e um desafio muito apaixonante”, acrescentou, explicando que escolheu o Brasil como tema da exposição porque esteve no país várias vezes e porque gosta muito de seu ambiente.

O astro americano da música folk, de 68 anos, expôs sua coleção anterior, Drawn Blank Series, na Alemanha, em 2007, e no Reino Unido, em 2008.

Bob Dylan anuncia primeiros shows de 2010

Publicado: janeiro 19, 2010 em Bob Dylan

O músico Bob Dylan. (Foto: Reuters)
O cantor e compositor Bob Dylan anunciou seus primeiros shows confirmados em 2010. O músico fará 12 apresentações pelo Japão a partir do dia 12 de março, informou o site da revista “Spinner”.

Osaka, Nagoya e Tóquio são as cidades japonesas que farão parte da já famosa turnê “Never ending Dylan”.

De acordo com o site Boblinks, mantido por fãs, o cantor seguirá para a China em abril, onde vai se apresentar em Taiwan, Pequim e Xangai.

Segundo levantamento do site da “Spinner”, o cantor vem mantendo uma admirável agenda nos últimos 30 anos, com média de cem shows por ano

Capa de ‘Christmas in the heart’, álbum natalino de Bob Dylan. (Foto: Divulgação)

Bob Dylan teceu reflexões sobre natais passados, almoços com peru e suas canções natalinas favoritas em uma entrevista rara publicada por uma revista para pessoas sem-teto, publicada nesta quinta-feira (26). O cantor de 68 anos deixou fãs e críticos perplexos com seu novo álbum, “Christmas in the heart”, uma coleção de canções tradicionais de Natal cantadas em sua voz rouca e gutural.

O álbum natalino também reforçou as especulações entre os “observadores de Dylan” em torno da religião atual do cantor, se é que ele tem alguma. Entre 1979 e 1981 Dylan foi cristão evangélico e lançou três álbuns de temática religiosa. Ele disse ao entrevistador: “Sou um crente verdadeiro”, mas não deu maiores detalhes.

Toda a receita deste novo disco será revertida para organizações de caridade para sem-teto e famintos nos Estados Unidos, Grã-Bretanha e 80 países pobres.

Indagado sobre a razão de ter escolhido essas organizações, Dylan disse ao entrevistador: “Elas levam a comida diretamente às pessoas. Sem organização militar, sem burocracia, sem tratar com governos.”
A entrevista exclusiva saiu na revista britânica “The Big Issue” e em jornais semelhantes distribuídos nas ruas na América do Norte.

Bob Dylan disse que, embora seja judeu, nunca se sentiu deixado de fora do Natal quando era menino, em Minnesota. Ele recordou “muita neve, sinos de Natal, pessoas indo de porta em porta cantando canções de Natal, trenós nas ruas, sinos da cidade tocando, peças de teatro sobre o nascimento de Jesus.”

Dylan falou que, para ele, um bom almoço de Natal tem peru assado com purê de batatas e molho, couve e todos os acompanhamentos tradicionais. As canções do álbum de Natal “fazem parte de minha vida, assim como as canções folclóricas”, disse.

Por que o Natal tem as melhores canções? “Talvez porque o Natal seja algo que existe em todo o mundo e com o qual todo o mundo pode se identificar à sua própria maneira.”

O lançamento do álbum natalino veio apenas intensificar o enigma de Bob Dylan, além de coroar um ano repleto de acontecimentos para ele.

O músico fez mais de 100 shows na Europa e América do Norte, dentro de sua turnê “Never Ending”, e liderou as paradas na Grã-Bretanha e nos EUA com seu álbum “Together through life.”

Em julho Dylan foi detido em Nova Jersey quando moradores viram um homem encapuzado perambulando em sua rua debaixo de chuva. O jovem policial chamado não reconheceu o compositor e cantor premiado com o Oscar e o Grammy.

‘Train tracks’ (trilhos de trem) e ‘Man on a bridge’ (homem em uma ponte), telas de Bob Dylan que serão expostas em Copenhague (Foto: Columbia Records/Reuters)

Mostra inclui cerca de 30 telas de uma série batizada como ‘Brazil’.Porta-voz da instituição comparou obras do cantor às de Matisse.

A Galeria Nacional da Dinamarca informou nesta quarta-feira (16) que irá exibir cerca de 100 trabalhos de Bob Dylan, incluindo algumas de suas pinturas em acrílico mais recentes. O museu diz que exibirá pela primeira vez cerca de 30 telas de uma série recente batizada pelo cantor como “Brazil” – não foram dados detalhes sobre no que consiste a série.

O porta-voz do museu, Jakob Fibiger Andreasen, declarou que o compositor de “Blowin’ in the wind” tinha interesse em exibir sua obra no museu, que guarda uma extensa coleção de pinturas do artista Henri Matisse. Fibiger Andreasen diz que “existem raízes claras” de Matisse nos trabalhos de Dylan. Ele afirmou nesta quarta que Dylan também colocaria em exposição as aquarelas da série “The drawn blank”. A mostra em Copenhague será aberta ao púbico em setembro ou outubro de 2010.

O cantor Bob Dylan (Foto: AP)

O lendário cantor americano Bob Dylan poderá emprestar sua voz para um sistema de navegação por satélite, o que o fará se somar a um crescente grupo de famosos que já usam seus talentos vocais para orientar os motoristas em seus carros.

“Estou falando com algumas companhias automobilísticas para ser a voz de seus sitemas de GPS”, declarou Dylan na última edição de seu programa de rádio noturno, “Theme Time Radio Hour”, transmitido pela BBC.

Dylan deu alguns exemplos do que poderá falar quando estiver orientando os motoristas:

“Pega a esquerda na próxima rua. Não, pega a direita. Quer saber? Vai sempre em frente”.

“Provavelmente não vou fazer isso porque para onde vou, sempre acabo no mesmo lugar, em ‘Lonely Avenue'”, acrescentou, fazendo alusão a uma de suas canções.

Se a notícia se confirmar, não será a primeira vez que o cantor que simbolizou a contracultura dos anos 1960 venderá sua imagem com fins publicitários.

Dylan fez, entre outros comerciais, um famoso e polêmico anúncio para a montadora americana Cadillac e, mais recentemente, permitiu que o maior grupo cooperativo britânico, o Co-Operative Group, utilizasse sua emblemática canção “Blowin’ in the wind” em um anúncio de TV.

Com esta iniciativa, Dylan se soma a outros artistas que já emprestaram suas vozes a sistemas de GPS, como o membro dos Monthy Python John Cleese, o mítico protagonista de “Sem destino” Dennis Hopper, o veterano ator Burt Reynolds e o exótico Mr. T, da série de TV “Esquadrão classe A”.