Arquivo da categoria ‘Clube do Whisky’

Fotos: divulgação

Madeiras ebanizadas, talheres de porcelana e teto folhado a ouro. O espaço de clima intimista situado no mesmo prédio de uma das baladas mais disputadas de São Paulo é o lugar ideal para um sofisticado esquenta regado a uísque, jazz e gente bonita. Para antecipar as comemorações de 200 anos de um dos scoth mais nobres do mundo, a Pink Elephant e a Johnnie Walker abriram o 1820 – The Blue Bar.

“Quando fizemos a Pink, meu pai já tinha a ideia de montar um espaço único e exclusivo, onde um seleto público pudesse fazer o aquecimento para curtir a noite”, enfatiza Cassio Gebara, que junto com Nelson Gebara, Georgia Atalla, Giuliano De Luca, Maria Rosa De Luca, Ricardo Goldfarb e Thiago Mansur, abriram o local. Voltada para a classe AAA e preocupado no bem-estar e conforto, Cassio afirma que são dois os tipos de pessoas que freqüentam o ambiente. “Uma é a galera entre 25 a 35 anos, que curte a balada; o outro é um público mais velho, acima dos 40, carente de um ambiente onde possa apreciar o antigo blend com uma boa música”.

O ambiente

Com projeto assinado pelo arquiteto Jayme Bernardo, o The Blue Bar tem a decoração toda inspirada no uísque. Espelhos, poltronas e sofás de couro envelhecido ajudam a realçar o azul deeprez que predomina no estabelecimento, com garrafas de Johnnie Walker Blue Label presentes por toda parte. Ao fundo, uma biblioteca com aproximadamente 900 títulos da literatura clássica serve como cenário para o palco do bar, montado com um piano.

Para animar esses exigentes clientes, a casa conta com apresentações musicais do grupo Fogueira Três e Julia Simões, Anna Sttn e Graziela Medori cantam os sucessos de jazz, MPB e pop-rock nas noites de terça a domingo. Como a vizinha Pink Elephant, para fazer parte desse requintado clube tem que estar bem arrumado. O esporte fino é o vestuário básico e, se não tiver o perfil do público, pode ser barrado na porta. Além disso, como o espaço tem a capacidade para 80 pessoas, recomenda-se reservar com antecedência.

Cardápio

O espaço tem drinques assinados pelo campeão brasileiro de coquetelaria, Luís Cláudio Simões. O mais pedido é o 1820, composto por Blue Label, licor de uísque e jerez (R$ 65,00). A carta de bebidas é extensa, com coquetéis, vodcas, tequilas, licores e conhaques, sem esquecer as diversas opções de uísque. Para degustar o carro chefe, Blue Label, ela importou da República Tcheca taças de cristal, tudo para manter a pureza do scoth que no bar custa R$ 111,00, a dose.

Como não poderiam ser diferentes, as opções gastronômicas atendem aos paladares mais requintados. O salmão defumado com torradas ou grana padano em lascas são opções de aperitivo, enquanto caviares, massas e carnes estão no menu. Para jantar o risoto a milanesa com ragu de ossobuco de vitela e o filé ao molho de mostarda dijon com batatas coradas são especialidades da casa. Assim, o The Blue Bar promete tornar-se um dos lugares cativos para os amantes do especial Blend.

Anúncios