Arquivo da categoria ‘Erykah Badu’

 Com aula vocal e simpatia, Erykah Badu ganhou o público paulistano no Credicard Hall

Quem viu, sabe; quem não viu, pode anotar no caderninho: o show que a americana Erykah Badu fez em São Paulo na noite deste domingo (29) foi um dos melhores deste 2010 – e olha que ainda há vários shows e ao menos três grandes festivais vindo por aí.
Com 25 minutos de atraso, o show da texana de 39 anos começou com um DJ animando a galera: sozinho no palco, ele soltou trechos de hits da black music recente, como Ready or Not, dos Fugees, banda de outro grande nome da música negra norte-americana, Lauryn Hill.

Foi o “timing” certo para que quem ainda não tivesse entrado, entrasse, e quem não estivesse posicionado, se sentasse – as casas de show brasileiras continuam insistindo em colocar mesas e cadeiras em espetáculos feitos para serem vistos de pé e dançando, mas, enfim…

Eis que os outros seis integrantes da banda adentram o palco, e o público fica mais eufórico. Mas, diva que é, Badu ainda não aparece: os músicos soltam então a instrumental Amerykahn Promise, e só depois dessa canção é que ela dá as caras.

Com cabelos curtos e superloiros, vestido listrado retrô de cintura alta e sapatos de salto, Erykah chega pela direita e dá uma paradinha, séria, encarando a plateia. Nas mãos, um grande lenço estampado, como que para fazer charme.

Logo depois chegam as três fiéis backing vocals da cantora, uma delas com os cabelos tão compridos que quase chegavam aos seus joelhos. A segunda faixa do show foi The Healer.

Posicionada no centro do palco e amparada por um laptop, uma garrafa de algo que parecia ser chá e uma bateria eletrônica, Badu mostrou que sua voz continua impecável, alcançando agudos inacreditáveis, e parecia ter grande prazer em estar ali, no palco, fazendo o que gosta. Estalando os dedos e “gingando” ao som da música, a cantora transparece estar totalmente presente naquele momento, dominando tanto a banda quanto o público.

Depois de umas cinco ou seis músicas, e percebendo que as pessoas dançavam aflitas em suas cadeirinhas, sem poder se levantar – os seguranças reprimiam qualquer um que ficasse de pé nos corredores, dançando -, Erykah dá as ordens:

– Get up. Get up! (“Levantem!”)

A música era … & On, do já clássico disco Mama’s Gun, e de repente parecia que o show começava novamente. Com todos de pé e balançando as cadeiras – é realmente impossível ficar estático num show de Badu -, a cantora emendou sucessos de seus três primeiros discos, como On & On, Otherside of the Game, Worldwide Underground e I Want You, a faixas de seus dois discos mais recentes, New Amerykah partes 1 e 2.

No final da apresentação, Erykah ficou mais próxima do público e se viu presenteada por várias bijuterias, colares, pulseiras, camisetas e até uma munhequeira, presentes que ela recebia com nítido carinho e que ia pendurando pelo corpo. A última canção foi Bag Lady, antes do bis.

Grande parte do público já se encontrava no “gargarejo” quando Badu voltou ao palco, desta vez para dar autógrafos em papéis, discos e ingressos enquanto cantava “vigiada” por seu segurança – até um pedacinho do sucesso Didn’t You Know apareceu neste momento, camuflado entre as improvisações de Badu e de sua ótima banda.

Quase duas horas e meia depois de ter surgido no palco, Badu foi embora com uma expressão nitidamente satisfeita, a mesma que devia estampar a cara de, se não 100%, uns 99% do público presente, que não chegou a lotar o Credicard Hall mas preencheu bem a casa de espetáculos, sem empurra-empurra, filas ou confusões (vai ver porque os ingressos continuam tão caros em São Paulo…).

Alguns fãs até foram convidados a subir no palco e ir ao camarim no final, confirmando que Badu merece o predicado “diva” sem medo de ser feliz: ela é talentosa, canta muito, anima seu público, esbanja simpatia, é estilosa, interage com banda e fãs, enfim… arrasou.

Fonte: R7

A cantora Erykah Badu (Foto: Divulgação / MySpace
do artista)

A cantora Erykah Badu se apresenta em São Paulo no dia 29 de agosto no Credicard Hall, informa a assessoria de imprensa da produtora Time For Fun. A diva norte-americana também deve se apresentar em outras cidades brasileiras no mesmo período, mas as datas ainda não foram confirmadas.

A venda de ingressos para a apresentação em SP começa no dia 5 de julho para os clientes da rede Credicard e no dia 12 de julho para o público em geral. Os preços das entradas ainda não foi divulgado.

A cantora de R&B se apresentou pela primeira vez no Brasil em 1997, no Free Jazz Festival. Com cinco álbuns na carreira, ela se envolveu em polêmica no início de 2010 com o videoclipe da faixa “Window seat”, no qual ela aparece nua em público.