Arquivo da categoria ‘maquinariafestival’

Mike Patton se apresenta em São Paulo à frente do Faith No More. (Foto: Daigo Oliva )

Quando Mike Patton surgiu no palco do Maquinária, na noite de sábado (7), vestindo terno vermelho e segurando um guarda-chuva ao som da balada “Reunited”, sucesso do R’n’B na década de 70, ficou claro que a primeira noite do festival na Chácara do Jockey, em São Paulo, seria do Faith No More. A banda norte-americana não tocava no Brasil desde 1995, e em seu retorno ao país com a turnê “The Second Coming” trouxe a um público de aproximadamente 24 mil pessoas músicas de diversas épocas, incluindo clássicos como “Last cup of sorrow”, “Epic” e “Midlife crisis”.

Com os cabelos penteados para trás, no melhor estilo cafajeste, Patton mostrou todo o seu alcance vocal ao longo de pouco menos de duas horas de apresentação, com direito a agudos, grunhidos, “tosse” e gritos com o microfone entre os dentes – mas sem deixar de lado o vozeirão de tenor em diversos bons momentos. Presença garantida no repertório do grupo, as versões foram além de “Reunited” e da balada “Easy”, do Commodores. No segundo bis, Mike Patton evocou Burt Bacharach com “This guy’s in love with you”. “Digging the grave” encerrou o show com o peso merecido, na esteira de outras pedradas, a exemplo de “We care a lot”, “Be agressive”e “Out of nowhere”.

Amparado pelos músicos Mike Bordin (bateria), Roddy Bottum (teclados), Billy Gould (baixo) e Jon Hudson (guitarra), o vocalista soltou a voz e o verbo em (quase sempre) bom português. Conversando com a plateia frequentemente, Patton comentou sobre a chuva que insistia em cair durante a apresentação do FNM, agradeceu diversas vezes e avisou, perto do final, que depois todos iriam para casa: “Estamos velhos”.

O toque irônico e meio fanfarrão ficou por conta do encerramento da primeira parte. Após uma versão épica de “Carruagens de fogo”, a banda emendou a climática “Stripsearch”. A canção terminou com uma saraivada de palavrões, enquanto o vocalista passava o microfone para os fãs mais próximos da grade na pista vip, para que o ajudassem com as palavras de baixo calão, enquanto exibia um distintivo de policial aos seguranças.

Na passagem do Faith No More pela capital paulista também não faltaram homenagens ao Brasil. Além da já clássica parte em que o grupo exibe a bandeira verde e amarela, Mike Patton cantou a faixa “Caralho voador”, em ritmo de bossa, e apresentou “Evidence” em português – canção que foi dedicada por ele ao personagem Zé do Caixão.

Jane’s Addiction e Deftones

A abertura para o show do FNM não poderia ter sido mais acertada. O guitarrista Dave Navarro e o vocalista Perry Farrell são as grandes estrelas do Jane’s Addiction, que cumpriu com propriedade a missão de esquentar o público em sua primeira apresentação no Brasil. A banda, que já havia se separado duas vezes antes, voltou a se reunir recentemente com o baixista original, Eric Avery, e o baterista Stephen Perkins, que toca com o grupo desde 1986.
Como um Ney Matogrosso do rock, Farrell serpenteou pelo palco vestido em seu macacão dourado com a cintura marcada. Provocou Navarro dando tapinhas na bunda do guitarrista e rebolou com duas dançarinas seminuas. Mas o show do Jane’s Addiction vai muito além da encenação. Se o líder continua bom de performance, assim permanece a sua voz e a pegada dos outros integrantes.

Com repertório composto por músicas de seus dois primeiros discos – “Nothing’s shocking”(1988) e “Ritual de lo habitual” (1990) – a banda formada em Los Angeles não perdeu o fôlego em mais de uma hora de show, começando com “Up the beach” e terminando com “Chip away”. Grande parte do público se animou mesmo com “Been caught stealing”, mas outras canções fizeram a alegria dos fãs, como “Stop!”, “Ocean size”, “Three days” e “Jane says”, esta última em versão com violões.

Ao Deftones coube a missão de tocar com o sol a pino, logo depois do Sepultura. A banda liderada pelo vocalista Chino Moreno agradou ao público com um vasto repertório, que teve “Feiticeira”, “Head up”, “Hole”, “Hexagram”, “Passenger”, “Back to school”, entre outras.

Ao contrário do que aconteceu no show do Radiohead, último grande evento musical ocorrido na Chácara do Jockey este ano, o público não teve problemas para sair do local, que recebe neste domingo (8) as bandas Duff Mckagan Load, Dir An Grey, Panic At The Disco e Evanescence.

Confira a programação completa do domingo (8):

Palco Principal
17h10 – Duff Mckagan Load
18h30 – Dir An Grey
19h50 – Panic At The Disco
21h30 – Evanescence

Palco MySpace
16h00 – Volantes
16h40 – Terceira Edição
18h00 – Silicon Fly
19h20 – Hori
20h40 – Danko Jones

Festival Maquinária

Quando: domingo (8) – abertura dos portões: 13h
Onde: Chácara do Jockey – Av. Pirajuçara, s/nº (altura do 5.100 da av. Francisco Morato)
Quanto: R$ 200 (pista) e R$ 450 (área vip)
Informações: http://www.maquinariafestival.com

Entradas:
Rua Santa Crescência : Deficientes físicos (pista comum e vip), Central de informações e Achados e Perdidos / Av. Pirajussara (pista) / Av. Monsenhor Manfredo Leite (vip)

Estacionamento:
O local não possui estacionamento. A organização aconselha o uso de táxi ou transporte público
Acesso para deficientes

Classificação etária:
Dia 8 – Menores de 14 anos: entrada permitida somente acompanhado dos pais ou responsáveis legais.
Não é recomendada a entrada de menores de 10 anos.