Arquivo da categoria ‘Phil Collins’

Divulgação

O astro britânico Phil Collins foi vocalista e baterista do grupo Genesis.

O novo CD de Phil Collins – Going Back (Warner) – é, como diz o seu título, uma viagem ao passado.

O ex-vocalista do Genesis e bamba da música pop decidiu buscar nas suas memórias as canções da Motown (gravadora que reuniu a nata da música pop negra americana) e regravá-las.

Mas, como o próprio Collins diz no encarte do CD, a ideia não era fazer um disco novo e sim um disco “antigo”.

Para isso, o músico recrutou Bob Babbitt (baixo), Eddie Willis (guitarra) e Ray Monette (guitarra) – a atual formação dos Funk Brothers – para ajudá-lo na tarefa.

– Queria fazer que as canções soassem exatamente como nas versões originais.

Os Funk Brothers tocaram na maioria das versões originais de clássicos da Motown como My Girl (Temptations) e Baby Love (Supremes), e ajudaram a dar ao álbum uma sonoridade mais próxima da obtida por Smokey Robison, o trio Holland-Dozier-Holland e outros músicos, produtores e compositores responsáveis pela era de ouro da gravadora.

Além deles, o disco conta com bons backing vocals e a ótima sessão de sopros que sempre acompanha Collins.

O resultado é um disco agradável, com boas versões de Papa Was a Rolling Stone, Going to a Go-Go e Some of Your Loving, entre outras.

Going Back é dividido em lados A e B, como nos bons e velho vinis. Tudo bem que isso só sirva como mas uma recordação e homenagem colocada na contra capa do disco, mas traduz bem o espírito de todo o projeto.

Em todas as canções, encontramos um Phil Collins que deixa de lado o brilho vocal para que suas interpretações se encaixem na sonoridade dos anos 50 e 60.

Outra boa notícia para os fãs é o fato de que Phil voltou a tocar bateria, mesmo depois dos problemas que o fizeram passar até mesmo por uma cirurgia para reparar uma contusão no pescoço.

No fim das contas o músico inglês conseguiu traduzir com perfeição a magia das músicas produzidas em Detroit, acrescentando um pouco mais da sua própria veia pop em canções de 3 minutos de duração.

Um CD recomendado para quem já conhece o material original e para os que acham que Phil Collins só entende de rock progressivo e pop fácil.

Na Inglaterra, o álbum chegou ao 1° lugar nas paradas de sucesso – a primeira vez em 12 anos. Nada mal para um disco “antigo”.

No Brasil foi lançada a versão standart, com 18 canções, mas há uma versão de luxo (importada) com 25 faixas.

Serviço

Going Back – Phil Collins

Gravadora – Warner

Preço médio – R$ 25

Anúncios

Phil Collins abandona bateria

Publicado: outubro 21, 2009 em Phil Collins

O cantor inglês Phil Collins declarou em uma entrevista que não está mais tocando bateria.

De acordo com o jornal alemão Hamburger Abendblatt, o músico de 58 anos foi submetido a uma cirurgia em abril deste ano para corrigir uma vértebra descolada em seu pescoço e, desde então, não possui mais sensibilidade em seus dedos.

Segundo entrevista de Collins, ele apenas poderia tocar bateria se colassem as baquetas em suas mãos. Mas isso não o irá impedir de continuar sua carreira musical.

O ex-integrante do Genesis está planejando lançar um novo disco em 2010. O projeto terá 30 covers de canções da famosa gravadora de soul Motown e, segundo suas próprias palavras, deve soar exatamente como as originais.

Atualmente, o cantor vive na Suíça, porém esteve em Hamburgo para celebrar o primeiro ano da estréia do musical Tarzan. O espetáculo conta com algumas composições suas, incluindo ‘You´ll Be in my Heart’, que venceu o Oscar de Melhor Canção Original, em 2000, e fez parte da trilha sonora da animação da Disney.